Duluth – Relatos de uma Maratona

Adriana Cubo e Luiz Giacomo

Brasileiros na 20a North Shore Inline Marathon
A patinação de velocidade, inline speed skating, é pouco vista e nada divulgada aqui no Brasil. Nas duas últimas semanas tivemos a maior prova dessa modalidade, a 42a BMW Berlin Marathon – na Alemanha, com mais de 6 mil patinadores e a 20a North Shore Inline Marathon – nos Estados Unidos, com mais de 2 mil patinadores. Muita emoção, adrenalina, superação, recordes, enfim tudo que o esporte proporciona. Muitos ainda me perguntam como foi, o que aconteceu, vou contar a minha experiência, um pouco do que vi e senti nessa edição da North Shore Inline Marathon, 19 de setembro passado.
Na verdade a história toda começou um ano atrás, depois de participar da meia maratona de Nova York, da meia maratona na Alemanha (em Damp), do mundial master da Itália (em Salerno) e do mundial master da França(em Dijon), mas até então com pouco treino e pouca experiência em maratonas. Veio uma vontade de treinar mais sério para corridas de fundo. Queria correr numa das grandes maratonas, a de North Shore ou a de Berlin. Convidei amigas de várias equipes do Brasil para embarcarem nessa, para treinarmos forte e representarmos o Brasil numa dessas corridas. Criamos um grupo de treino feminino para formar o pelotão brasileiro master de patinação de velocidade. Logo os homens da minha equipe também começaram a se entusiasmar, foi bem legal. Começamos a treinar juntos, algumas vezes juntamos o grupo, a minha equipe (Gotcha Roller Team) ajudou muito, um puxou o outro, incentivou, ensinou, aprendeu, trocou idéias, experiências… tive sorte de ter amigos tão maravilhosos ao meu lado. Infelizmente a crise na política e economia no Brasil impediu a maioria de viajar para fora esse ano. Decidimos correr a maratona de North Shore, e dessa vez fomos somente em quatro da mesma equipe: eu e Márcio Targa para a maratona e Luiz Giácomo e Almir Gonçalves para meia maratona. Segui treinando, e o meu desafio pessoal era diminuir o meu tempo de 1:40h para 1:30h. Além de melhorar a resistência precisava melhorar a técnica para atingir a meta. Dediquei duas horas diárias do meu tempo para treinar. A cinco meses da prova fiz uma maratona em 1:35h… fiquei mais confiante de que seria possível chegar lá.
Os ônibus que levavam os atletas até a largada em Two Harbors começaram o trabalho de madrugada. A meia maratona começou as 6:45h manhã, e logo chegavam os primeiros colocados, entre eles Luiz Giácomo, que entre 225 atletas chegou em 41o e em 1o lugar na sua categoria. Almir Gonçalves chegou alguns minutos depois, ficando em sétimo lugar na sua categoria. Patinação é, sem dúvida, um esporte para todas as idades.
As largadas da maratona completa começaram as 9:15h, foram ao todo onze largadas, de cinco em cinco minutos, da elite a recreação. O tempo estava firme, espetacular, gelado de manhã, mas com o sol forte esquentando. O asfalto impecável. O cenário deslumbrante. Temperatura agradável. Patins, rodas e rolamento perfeitos. Muita gente ao longo da prova torcendo, aplaudindo, fazendo festa, dando a maior força, incrível. Tive a sensação de correr muito, mais que nos treinos. Saí na frente com os caras da wave advanced 3. Fiquei em pelotão por uns quilômetros, até o momento que saí da frente do pelotão e fui para trás quando uns 10 caras de outro pelotão grudou no nosso e não me deixou entrar. Acabei perdendo eles, segui sozinha por muitos quilômetros. De vez em quando algumas pessoas chegavam, de vez em quando andava junto com um pelotão, mas a maior parte do tempo corri sozinha. Pelo aplicativo runtastic parecia que estava indo bem, fiz 21km em 45min. Estava atrás de um pelotão quando caí. Após 27 quilômetros de corrida, entramos numa área de asfalto diferente, cheia de emendas. O piche usado para consertar as emendas era recente, e com o sol forte ficou grudento, meu pé esquerdo grudou e fui de cara no chão. O capacete me salvou absorvendo o impacto, mas cortou o supercílio. Bati forte a boca também, quebrei um dente. Levantei, vi que dava para continuar patinando e foi o que fiz, só que bem mais devagar… Um (anjo) corredor me ofereceu um lenço de papel, consegui me limpar e terminar a prova.
Essa foi a melhor maratona que já participei. Não sei se era a alegria de estar lá, mas eu simplesmente adorei o percurso de Two Harbors a Duluth, mesmo com subidas e descidas praticamente o tempo todo (vejam pelo runtastic as variações de elevação por quilômetro rodado). Muitos me perguntaram, mas não estava cansada quando caí, só o cansaço normal de prova, cair foi uma fatalidade. Mantendo o ritmo que vinha até o momento da queda terminaria em 1:33h, próximo da minha meta. A surpresa foi que as outras atletas da minha categoria fizeram um tempo alto esse ano, e mesmo caindo acabei em quinto lugar, na minha categoria, com o tempo de 1:48h. Não era o tempo que esperava fazer, mesmo assim valeu muito a pena. Resultados:http://www.duluthrunning.com/r…/north-shore-inline-marathon/
Tenho muito a agradecer:
– a minha equipe, técnicos, amigos e parentes que me apoiaram, incentivaram e me deram força durante esse ano de treinamento;
– aos patrocinadores ENG DTP & Multimídia, Maruiti Indústria de Molhos e Química Futuro que viabilizaram o uniforme do grupo;
– ao Giácomo que aguardava angustiado a minha chegada demorada, e como sempre ficou ao meu lado e cuidou de mim o tempo todo;
– staff da prova, médicos e enfermeiros que me atenderam e cuidaram super bem de mim na chegada, os 11 pontos na testa foram muito bem feitos;
– ao Almir Gonçalves e a Danny que deram a maior assistência enquanto eu estava sob cuidados médicos;
– a Dra. Ana Cristina que cuidou de mim a distância e aqui no Brasil;
– aos Deuses e meus Anjos da Guarda que me guiam e me protegem.
E quero parabenizar:
– Luiz Giácomo, a conquista do primeiro lugar na sua categoria, um atleta incrível e um ser maravilhoso de muita luz. Não é fácil ser campeão num esporte sem tradição no Brasil. Não é fácil ganhar dos americanos que treinam mais, conhecem o percurso, estão acostumados ao clima, enfim, foi uma grande conquista, parabéns!!!
– Almir Gonçalves que terminou a prova super bem, parabéns pelo resultado, medalha de ouro em amizade e companheirismo.
– Márcio Targa, esforçadíssimo, que vi treinar como nunca e cumpriu a meta de terminar a maratona. Teve fortes cãimbras, não desistiu, curtiu a corrida até o final. Parabéns pela família linda, adorei a companhia de vocês nessa viagem.
Fazer essa maratona foi um privilégio. A organização, o respeito e seriedade dos organizadores é indescritível. Fomos muito bem recebidos no dia anterior, fomos fotografados, entrevistados, revemos amigos, fizemos novas amizades, foi tudo de bom. Espero na próxima conseguir formar um grande pelotão verde e amarelo. Senti muita falta de Gi Batgirl,Flávia Motta Pretti, Berlane Silva Martins, Fabi Ana, Maira Toepper Lima,Melina Paiva Leite, Isabela Ciarlini, Cecilia Freitas, Ana Cristina Fortes Alves, Grazzielle Gonçalves, Marcia Ganeko, Claudio Hamano, Ricardo Lionese, Marcel Fernanda Lionese, Paulo Marques etc… correr em equipe é muito melhor. O que era um sonho a um ano atrás agora já é lembrança e experiência para as próximas. Temos muito para evoluir, mas a experiência de estar num grande campeonato junto de grandes campeões mundiais, a conquista do primeiro lugar do Giácomo, tudo foi muito significante.
A minha medalha foi ouvir de amigos queridos palavras carinhosas que não me deixaram esquecer do que realmente importa: equilíbrio, fé, amor, celebrar a vida com alegria.
A minha maior emoção foi ver o Giácomo levando o Brasil mais uma vez ao pódium. FOI LINDO, FOI DEMAIS! MERECIDÍSSIMO!!!

Marcio Targa 

Duluth. A corrida da minha vida. Valeu a emocao de cada milha percorrida. Mais de 2.000 atletas. As 7 da manha pegamos um onibus escolar (aqueles amarelinhos de filme) que nos deixou no lugar da largada. Como demorou para chegar e eu sabia que teria que voltar patinando 42 km. Ja no aquecimento foi muito legal. Atletas do mundo inteiro e nao perdi a oportunidade de fazer amigos. USA, Inglaterra, Portugal, Colombia, Chile…

A corrida foi demais. O asfalto era um tapete. A velocidade foi incrivel desde o inicio subindo e descendo ladeiras na beira de um cenario de filme. O lago superior é um encanto. Os moradores das fazendas da regiao vieram para a estrada para incentivar os atletas e os chocalhos tipicos que lembram o nordeste brasileiro foi um show a parte. Crianças e adultos gritando o tempo inteiro nos incentivando.

Fui bem até os 33 km. A partir dai comecei a sentir fortes caimbras. Primeiro na perna esquerda, depois na perna direita e quando pegou a panturrilha faltavam 4 km. Tive que parar por 15 minutos e nao poderia desistir. Ai apareceu um anjo de Portugal na minha vida. Uma senhora portuguesa parou e me deu duas pilulas de sal para combater a caimbra. A partir dali peguei a estrada de novo e entao a meta era terminar a prova.

Quando avistei a chegada logo de pronto vi minha esposa Viviana e minha filha Yasmin e do outro lado o amigo Almir, que alegria. Confesso que terminei a prova chorando e muito de emocao, um misto de alegria, dor e a sensação de dever cumprido. Duas horas e dez minutos de corrida e eu consegui.

Fiquei mais feliz ainda por saber que o Giacomo, um atleta de nossa equipe GOTCHA foi campeao mundial na sua categoria.

Parabens a Adriana por ser guerreira e mesmo ferida terminou a prova em sexto lugar e ao Almir que nao poupou energia nas ladeiras e fez um excelente tempo.

Obrigado ao técnico Marcel e aos amigos que nos incentivaram e nos deram força para estarmos aqui.

Viviana, obrigado por ser a esposa maravilhosa. Um obrigado a minhas filhas Julia, Yasmin e
Ruth por me apoiar. A familia toda mandando mensagens. Mamae sempre preocupada, Ro um beijao.

Levo comigo dias maravilhosos, amigos, emocao, alegria e muita energia positiva. Esta tal de adrenalina sempre surpreendendo e me levando a novos lugares.

A felicidade existe e patinar é uma forma de expressa-la.

Almir Gonçalvez

Grato pela preparação que tivemos pois fizemos um tempo muito além da nossa expectativa chegando junto com os ponteiros da prova deixando muita gente pra traz em todas as categorias. Fomos muito cumprimentados pelo nosso desempenho nessa prova.
Parabéns aos companheiros de jornada que tão bem representaram o Brasil e particularmente o Gotcha com destaque especial ao Longato que nos honrou com a sua Medalha , a Adriana que foi uma guerreira superando a dor do grave acidente do qual foi vitima e mesmo sem condições chegou ao final a poucos metros da campeã e ao  Marcio que também em detrimento das fortes dores fisicas decorrente do grande esforço continuou até a meta nos representando muito bem nessa maratona.
Foi uma honra muito grande poder estar junto com todos nesse grande desafio.
Na expectativa de continuar a merecer a confiança de todos para poder representar o nosso querido clube envio forte abraço a todos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Anúncios

2 Comentários

  • Flavio Oliveira

    Parabéns a todos 🙂 Aqui sempre foi difícil participar desse esporte , mas tenham certeza que mesmo hoje sendo ainda dificil , é mil vezes menos difícil do que 30 anos atrás , então forca na peruca e continuem sempre com tesão até onde for possível 🙂

  • QUEREMOS FELICITAR A LOS CORREDORES POR ESTA GRAN PARTICIPACION, UN GRAN ABRAZO A EL GRAN CAMPEON LUIZ GIACOMO LONGATO, A NUESTRO AMIGO ALMIR Y MARCIO, PARA LA GRAN REPRESENTANTE FEMENINA DEL EQUIPO DE BRASIL UN BESO MUY GRANDE DE TODOS LOS PATINADORES ARGENTINOS Y QUE SIGAN LOS LOGROS UN ABRAZO.
    TAMBIEN UN GRAN RECONOCIMIENTO PARA SU ENTRENADOR Y COMPAÑEROS DE ENTRENOS QUE TRABAJARON DURO PARA ESTOS LOGROS.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s